Emprego Jovem Activo

Em junho de 2016 a AMEC integrou os primeiros jovens ciganos através do programa de apoio a jovens desempregados Emprego Jovem Activo, uma Medida do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP). Dois jovens, com habilitações inferiores ao 9º ano, em serviços de higienização, limpezas, pinturas, jardinagem, apoio social entre outras; além de uma jovem recém licenciada em Serviço Social, na organização destas tarefas.

Durante a vigência do programa, os jovens desempregados são colocados nestas ocupações em benefício de instituições sociais da cidade de Beja: Santa Casa da Misericórdia de Beja; Centro Social Cultural e Recreativo do Bairro da Esperança; União de Freguesias de Salvador e Santa Maria da Feira; União de Freguesias de São João e Santiago Maior; Câmara Municipal de Beja; Centro de Cultura e Desporto do Bairro de Nossa Senhora da Conceição; Núcleo Distrital de Beja da EAPN Portugal / Rede Europeia Anti-Pobreza; Delegação de Beja do Instituto Português do Desporto e da Juventude de Beja; Banco Alimentar Contra a Fome de Beja.

Este projeto, que vai no terceiro ano de funcionamento (2016-2018), tem como objetivo o emprego jovem, como medida de combate à descriminação, capacitação profissional de jovens desempregados e promoção da imagem da comunidade cigana de Beja.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A medida Emprego Jovem Activo destina-se a jovens com idade entre os 18 e os 29 anos, inscritos como desempregados nos serviços do IEFP sem escolaridade obrigatória e também a detentores de uma habilitação académica ao nível superior. Consiste no desenvolvimento de uma experiência prática em contexto de trabalho por jovens em situação de desfavorecimento face ao mercado de trabalho, conjuntamente com jovens mais qualificados (equipas de jovens, compostas por 2 ou 3 jovens desfavorecidos do ponto de vista das qualificações e da empregabilidade e 1 jovem qualificado, tendo em vista melhorar as suas condições de integração socioprofissional). As actividades a desenvolver podem ser dinamizadas por entidades públicas ou privadas, com ou sem fins lucrativos, mediante a apresentação de um projecto integrado de actividade conjunta destes jovens, com a duração de seis meses, o qual integra um plano de inserção para cada uma das duas tipologias de destinatários e a designação, pela entidade promotora, de um orientador responsável pelo acompanhamento. O Emprego Jovem Activo é para o IEFP “uma nova forma de dinamizar a integração social e profissional dos jovens que por diversos motivos se encontram afastados, quer da escola, quer do mercado de trabalho”. Jovens com pouca qualificação e pouca experiência profissional são o público-alvo da medida que visa o aumento da empregabilidade, dando oportunidade aos jovens menos qualificados de mostrar o que valem.


backarrow