Mediação, o que é?

A mediação comunitária, sociocultual e intercultural, vai muito para além da prevenção e resolução de conflitos em sociedades multiculturais: protagoniza um projeto de mudança por via da construção de canais de diálogo e de capacitação para a participação, das populações que tendencialmente se encontram afastadas das esferas sociais, políticas e económicas.

A mediação é de grande utilidade em áreas de intervenção social, como a habitação, a saúde, a educação e o emprego.

A mediação serve a comunidade minoritária como a maioritária: serve a sociedade em geral, enquanto processo comunicacional de transformação social e de requalificação das relações sociais.

A mediação promove a compreensão mútua, a aprendizagem da convivência, o respeito pelas diferenças culturais, e ajudando a reduzir os estereótipos e preconceitos culturais para com o “outro”. A medição promove a valorização, afirmação e respeito pelas diferenças, pela identidade cultural de cada grupo na sociedade plural.

O mediador cigano tem igualmente o papel de facilitador da comunicação entre a população cigana, as entidades públicas e a sociedade maioritária, e de criar  pontes entre as duas comunidades, promovendo a aceitação das diferenças e dando a conhecer, explicando o diverso e o desconhecido.

 


Fonte: Loureiro, Raquel Sofia da Costa, O papel do mediador municipal: estudo efectuado junto da comunidade cigana de Barcelos, Dissertação de Mestrado: Universidade Fernando Pessoa, Faculdade de Ciências Humanas e Sociais (UFP-FCHS), Porto: 2012  >ler


 

O exemplo de Tânia Sousa, mediadora cigana de Abrantes: